top of page
  • Grasiela Lima

Você realmente entende sobre licenciamento de software?

Conheça os principais tipos de licenciamento de software para não errar na hora de escolher a melhor tecnologia para seu negócio.



O licenciamento de software é um documento que estabelece as regras de utilização do programa para computador. Ou seja, o que pode e o que não pode ser feito com a ferramenta.

Todos os programas, gratuitos ou pagos, possuem licença de uso definida pelo desenvolvedor e que deve ser seguida à risca pelas empresas. Por isso, é fundamental conhecer quais são os tipos de licenciamento para escolher a melhor tecnologia para o seu negócio.

Em seguida, entenda melhor o que é licenciamento de software, como funciona e quais são os principais tipos.


Tipos de licenciamento de software


Neste artigo, você conhecerá os principais tipos de licenciamento de software:

  • Aquisição Perpétua;

  • Aluguel;

  • Software Livre;

  • Open Source;

  • Gratuita ou Freeware;

  • Uso por Dispositivo ou Usuário.


O que é licenciamento de software?


Além de definir a forma de uso, o licenciamento de software funciona como uma espécie de contrato. Isso porque garante ao cliente o cumprimento de todos os serviços e funcionalidades acordados com a empresa responsável pelo programa. Tudo respeitando a segurança e integridade dos dados.

O documento também resguarda os direitos autorais (copyright) do proprietário da tecnologia. Esse termo refere-se à proteção de materiais autorais, limitando a distribuição e uso conforme direito de propriedade às pessoas que criam algo único por meio do intelecto.

Diante deste cenário, a licença de uso pode determinar as aplicações da solução e as limitações, como restrições para downloads, instalações, manutenções, mudanças no código-fonte, distribuição etc.


Quais os tipos de licenciamento de software?


Existem diversos tipos de licença de software. Alguns são mais utilizados pelas empresas. Na sequência, selecionamos os principais. Confira:


  • Licença de Aquisição Perpétua

Um dos mais tradicionais, esse licenciamento é de uso vitalício. Porém, não oferece manutenções e atualizações, necessidades que, neste caso, podem aumentar custos futuros do contratante.

Esse licenciamento também é usado no desenvolvimento de programas exclusivos. Desse modo, o cliente torna-se proprietário e tem todos os direitos sobre a solução, desde alterações até livre distribuição.


  • Licença para Aluguel

Também conhecido pela sigla ASP (Application Service Provider, em inglês), é um dos mais utilizados no mercado. Esse licenciamento é baseado em uma assinatura mensal e pode ficar hospedado no cliente ou na nuvem do desenvolvedor.


Dentro desse modelo, há a Licença para SaaS. Armazenada em nuvem, o pagamento é de acordo com a quantidade de usuários e recursos utilizados. Os custos com manutenções, atualizações e segurança, dentre outros, são de responsabilidade do desenvolvedor.


Já a Plataforma como Serviço (PaaS) serve para desenvolver, implantar e gerenciar o SaaS. Há também a Infraestrutura como Serviço (IaaS), em que os usuários podem acessar, monitorar, gerenciar e armazenar dados remotos. Outra licença é os Créditos em Nuvem, em que a empresa utiliza o programa por meio da aquisição de créditos.


  • Licença de Software Livre

O licenciado pode copiar, distribuir, baixar, alterar e investigar o código-fonte e, assim, moldar a ferramenta conforme suas demandas. Entretanto, atenção: livre não significa necessariamente gratuito.


  • Licença Open Source

Assim como na Licença de Software Livre, o comprador também pode modificar a tecnologia de acordo com suas necessidades. Contudo, o proprietário pode estabelecer algumas regras de uso.


Também nesta licença, o cliente não assume os gastos com a criação do software, mas há a possibilidade de arcar com as taxas de manutenção. Atualmente, é uma opção que pode ter custos menores.


  • Licença Gratuita ou Freeware

O software é gratuito, mas ainda possui direitos autorais. Isto é, pode ser utilizado, mas o proprietário pode vender no futuro e não dar acesso mais ao código-fonte, por exemplo.


  • Licença de Uso por Dispositivo ou Usuário

Apenas uma máquina ou usuário pode receber o software. Neste modelo, há atualizações, mas geralmente não tem manutenção pelo desenvolvedor. Essa licença também é conhecida no mercado como “baseada em máquina”.


Até os anos 2000, o tipo de licenciamento de software mais utilizado era voltado para a quantidade de usuários e máquinas, instalação nos computadores e hospedagem no servidor do cliente.


Hoje, a Licença por Assinatura em nuvem ganha cada vez mais espaço. Tudo indica que será o modelo mais utilizado de licenciamento de software no futuro.


Quer saber mais sobre licenciamento de software? Fale diretamente com nossa equipe.

33 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page